10 SURPREENDENTES CURIOSIDADES SOBRE AS MISTERIOSAS ESTRELAS DE NÊUTRONS





Estrelas de nêutrons são corpos celestes supermassivos e supercompactos com gravidade extremamente alta.

 

Se uma estrela na fase final da sua vida possuir massa duas a três vezes a do Sol, ela sofrerá uma contração tão violenta que as partículas de gás em seu interior transformam-se em nêutrons. É assim que surgem as estrelas de nêutrons, o segundo corpo celeste mais denso do universo.

 

Tão logo começa a se transformar numa estrela de nêutrons, a estrela libera uma energia na forma de neutrinos igual à quantidade de luz emitida por todas as estrelas do universo observável.

 

Os campos magnéticos das estrelas de nêutrons podem ser de um bilhão a um trilhão de vezes o campo magnético da superfície da Terra.

 

Em virtude da gravidade extremamente alta das estrelas de nêutrons, os raios de luz sofrem um desvio, gerando distorções visuais conhecidas dos astrônomos como lentes gravitacionais.

 

Apesar de pequenas – com apenas 14 quilômetros de diâmetro, mais ou menos do tamanho da cidade paulista de São Caetano do Sul, por exemplo –, as estrelas de nêutrons chegam a ser tão massivas que apenas um centímetro cúbico de sua matéria pesa tanto quanto 1 bilhão de elefantes.

 

Pulsares são estrelas de nêutrons extremamente pequenas e que giram muito rápido. São assim chamados porque “cospem” emissões de rádios repetidos a intervalos regulares.

 

Especula-se que se houvesse vida nas estrelas de nêutrons, ela seria totalmente bidimensional.

 

Ao contrário de atmosfera terrestre, que se estende por centenas de quilômetros, uma estrela de nêutrons teria uma atmosfera de apenas 30 centímetros.

 

A estrela de nêutrons mais próxima está a 500 anos-luz de distância. Mas se porventura uma entrasse no nosso sistema solar, tiraria todos os planetas de órbita.

 

Fontes: Wikipédia, Mundo Estranho, Mistérios do universo, Sociedade Racionalista.

 


Comentários!: