18 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O LIVRO O PEQUENO PRÍNCIPE





O livro O Pequeno Príncipe foi escrito pelo francês Antoine Marie Jean-Baptiste Roger, conde de Saint-Exupéry ou Antoine de Saint-Exupéry.

 

O jornalista, escritor e aviador Antoine de Saint-Exupéry nasceu em Lyon, em 29 de junho de 1 900.

 

Além de O Pequeno Príncipe, escreveu Correio do Sul (1 926), Voo Noturno (1 931), Terra dos Homens (1 939) e Piloto de Guerra (1 942). Quase toda a sua obra foi inspirada em sua experiência como aviador.

 

Antoinde de Saint-Exupéry faleceu aos 43 anos durante uma missão aérea. Seu avião desapareceu depois de partir da ilha da Córsega. Os restos da aeronave só foram encontrados décadas depois. O corpo do piloto nunca foi achado.

 

Saint-Exupéry fez diversas escalas no Brasil na época em que trabalhava no correio aéreo. Uma dessas escalas foi em Florianópolis, onde conheceu um pescador que, diante da dificuldade de pronunciar seu nome, chamava-o de “Zeperri”. Inspirado nesse encontro, o filho do tal pescador ergueu uma pousada na praia do Campeche, chamada justamente Zeperri. A pousada conta com um pequeno memorial com pôsteres e gravuras alusivos ao escritor.

 

O Pequeno Príncipe inspirou empresários japoneses a erguer um museu totalmente dedicado ao personagem. Ao nele ingressarem, os visitantes poderão conhecer o asteroide B612 e a praça do acendedor de lampiões, além de um restaurante alusivo ao livro.

 

Na França, existe um parque de diversões d’O Pequeno Príncipe. Além de conhecer o asteroide B612, os visitantes podem curtir um trampolim gigante, fazer passeios de balões e até conhecer um modelo de avião idêntico ao utilizado por Saint-Exupéry durante a carreira de aviador.

 

Acredite se quiser, mas apesar do autor ser francês, o livro foi publicado inicialmente nos Estados Unidos. Ele foi escrito durante um exílio do autor nesse país.

 

O Pequeno Príncipe só saiu na França dois anos depois de ser lançado nos Estados Unidos.

 

As ilustrações do livro original foram também feitas pelo próprio Saint-Exupéry. Por sinal, são as mesmas ilustrações da edição publicada durante décadas no Brasil pela editora Agir.

 

A aparência do principezinho nessa ilustrações pode ter sido inspirada no próprio autor, que tinha cabelos loiros e encaracolados na infância. Por sinal, o pequeno Antoine Marie era chamado por amigos e familiares de Rei Sol.

 

Em Portugal, o título do livro é O Principezinho.

 

Com versões em 243 línguas e dialetos, O Pequeno Príncipe é a terceira obra literária mais traduzida do mundo.

 

Ele foi considerado na França como o melhor livro do século XX. É também o livro mais lido em língua francesa.

 

Lançada em 1 952, a primeira edição brasileira foi traduzida pelo monge dom Marcos Barbosa, da Academia Brasileira de Letras.

 

A obra ganhou três versões para o cinema, uma em 1 967, outra em 1 974 e outra em 2 015. Esta última foi, álias, quase totalmente feita com técnicas como stop motion.

 

É provável que a raposa sábia do livro tenha sido inspirada num feneco, uma espécie de raposa típica do Saara. Saint-Exupéry cruzou com uma raposa dessas quando sofreu um acidente aéreo e esperou durante dias para ser resgatado nas areias escaldantes do deserto.

 

A rosa do principezinho pode ter sido inspirada na esposa do autor, Consuelo de Saint-Exupéry. Ela era natural de El Salvador, um país com muitos vulcões.

 

Fontes: Wikipédia, Deutsche Welle, O Estado de S. Paulo, Literatortura.com, UOL.

 

 


Comentários!: