21 CURIOSIDADES MUITO INTERESSANTES SOBRE O ANO NOVO CHINÊS





Enquanto a maioria dos países segue o calendário gregoriano, a China segue o lunar. Isso faz com que as comemorações caiam, a cada ano, em uma data diferente do calendário gregoriano.

 

Os primeiros registros das comemorações do Ano Novo chinês datam de aproximadamente 2 mil anos. Detalhe: elas duram 15 dias.

 

As cores oficiais da data são o vermelho e o dourado.

 

A dança do dragão é bastante popular durante as celebrações. Para os chineses, esse animal mítico é dotado de poder, riqueza e sabedoria. Ele traz boa sorte e fortuna para todos.

 

A casa e os estabelecimentos comerciais são limpos dias antes do Ano Novo para, digamos, botar o azar para fora. Mas nunca se deve limpar a casa no dia de Ano Novo, pois pode-se varrer também a boa sorte.

 

Nessa data, é comum os mais velhos presentearem os jovens com envelopes vermelhos (os chamados hong bao) com uma espécie de “dinheiro da sorte”. Detalhe: a etiqueta manda que não se abra o envelope na frente de quem o deu.

 

À meia-noite, costuma-se deixar todas as portas e janelas abertas para a má sorte sair.

 

Outra superstição: não dizer palavrões e não pronunciar a palavra quatro. O número quatro tem a mesma pronúncia de morte.

 

O almoço do dia de Ano Novo é normalmente vegetariano. A explicação está no fato de que, sendo um dia dedicado a homenagear os deuses do céu e da terra, não se deve comer ou matar animais.

 

É comum no Norte da China preparar guiozas recheadas com moedas. Quem as come terá sorte durante todo o ano vindouro.

 

Os pratos variam um bocado de região para região, mas é comum servirem sopas, guiozas, macarrão etc. Os doces costumam ser servido em embalagens vermelhas. Entre os mais ricos, o banquete de Ano Novo chinês inclui ovos podres cozidos e sopa de ninho de andorinha.

 

Assim como no réveillon ocidental, as felicitações e queima de fogos acontecem sempre à meia-noite.

 

Reza uma lenda que existia uma criatura que aparecia a cada 12 meses para devorar humanos, especialmente crianças. A criatura, porém, tinha aversão a ruídos e à cor vermelha, daí a tradição de soltar fogos e usar o vermelho na decoração durante o Ano Novo.

 

A cada feriado de Ano Novo, mais de 300 milhões de pessoas viajam pela China para suas terras de origem e para visitar a família, o que constitui o maior movimento migratório do planeta.

 

O feriado prolongado paralisa quase todo o país. O fechamento de fábricas e a paralisia dos meios de produção acaba criando uma grande dor de cabeça para os grandes importadores de produtos made in China. Outro problema é o fato de que, graças aos incentivos do governo, muitos desses trabalhadores permanecem no campo, afetando a produção das empresas onde trabalhavam. Aflitos, os importadores chegam a levar as suas produções para países como Indonésia, Tailândia e Vietnã.

 

Os anos começaram a ser representados por animais durante a dinastia Qing (que durou de 1 644 e 1 911). Conta a tradição que Buda teria convidado todo o reino animal para uma festa, mas somente alguns bichos apareceram. São eles, pela ordem de chegada: rato, boi, tigre, coelho, dragão, serpente, cavalo, carneiro, macaco, galo, cão e javali.

 

A astrologia parece tão antiga quanto a própria China. Segundo relatos do aventureiro italiano Marco Polo, havia cerca de cinco mil astrólogos na corte do imperador de origem mongol Kublai Khan no século XIII.

 

A propósito, não é de hoje que controle estatal e censura são práticas corriqueiras na China. O jesuíta e viajante Matteo Ricci relatava no século XV que estudar astrologia e fazer previsões sem a autorização do governo eram proibidos por Pequim.

 

O Ano Novo não é comemorado somente na China, mas em diversos países e cidades com populações significativas de origem chinesa. Exemplo: Singapura, Malásia, Indonésia e em alguma partes dos Estados Unidos (Los Angeles, Nova York e Seattle) e Canadá (Vancouver).

 

No Brasil, as maiores festividades pelo novo ano ocorrem no bairro da Liberdade, tradicional reduto oriental da cidade de São Paulo

 

O encerramento das comemorações de Ano Novo ocorre com uma festividade chamada Festival das Lanternas.

 


Comentários!: