21 FATOS PITORESCOS E CURIOSIDADES SOBRE MAURÍCIO DE SOUSA E A TURMA DA MÔNICA





Maurício Araújo de Sousa nasceu na cidade de Santa Isabel, na Grande São Paulo, em 27 de outubro de 1 935.

 

Maurício iniciou a carreira como ilustrador na vizinha cidade de Mogi das Cruzes, quando desenhava cartazes e desenhos para as rádios e jornais locais.

 

Na intenção de viver como desenhista, procurou emprego no jornal Folha de S. Paulo (que na época se chamava Folha da Manhã). Foi contratado, mas como repórter policial. Persistente, Maurício ilustrava as reportagens com desenhos de sua autoria.

 

Apesar de trabalhar durante cinco anos como repórter policial, Maurício não gostava de ver sangue. Costumava pedir para um fotógrafo olhar os cadáveres e descrever as cenas para ele.

 

Sua primeira tirinha foi publicada na Folha de S. Paulo em julho de 1 959, com os primeiros personagens da longa galeria que viria a seguir: o cãozinho Bidu e seu dono Franjinha.

 

Curiosamente, existem relatos de que o primeiro personagem tenha sido, na verdade, um super-herói: Capitão Picolé.

 

Mônica, sua personagem mais famosa, surgiu em 1 963, mesmo ano em que Maurício ajuda a criar o suplemento infantil do jornal Folha de S. Paulo: a Folhinha. Foi na Folhinha que a Turma da Mônica começou a surgir.

 

Todos os 10 filhos de Maurício ganharam seus respectivos personagens. A mais famosa é Mônica, inspirada na sua filha Mônica Spada e Sousa. A filha mais velha, Mariana, deu origem à personagem Maria Cebolinha.

 

Mônica apareceu pela primeira vez na capa da Folha de S. Paulo em 11 de fevereiro de 1963. Um detalhe bastante curioso: de início, ela possuía sapatos.

 

Nos primeiros desenhos, Mônica tinha um ar bastante carrancudo. Parecia estar sempre de mal-humor.

 

Quando apareceu pela primeira vez, Sansão, o coelhinho da Mônica, era amarelo. Ele levou anos para ganhar esse nome. De início era apenas o coelhinho da menina do vestido vermelho.

 

Bidu, o cãozinho que conversa com pedras, postes e outros objetos inanimados é, segundo o próprio Maurício, um cão da raça alemã schnauzer. Nas histórias iniciais, ele era cinza, não azul.

 

Nem todos os fãs sabem, mas Cascão já tomou banho uma vez. Foi em 1 983, quando ele entrou na água para ajudar as vítimas das enchentes que assolaram o sul do país.

 

Outra curiosidade desconhecida de muitos: o nome completo do Cebolinha é Cebolácio Júnior Meneses da Silva. Ele foi inspirado num amigo de infância de Maurício.

 

Penadinho, no início, não possuía nome. Ele aparecia nas tirinhas da Folhinha apenas como o “Fantasminha”.

 

O nome verdadeiro do Zé Lelé é José Leocádio.

 

Assim que surgiram, Tina e Rolo tinhas as suas aventuras ambientadas na Bahia. Eles faziam parte de uma turma de hippies.

 

Os militares, que governaram o país durante duas décadas, não gostaram muito do personagem Chico Bento. Para eles, um personagem que falava errado só podia ser má influência para as crianças.

 

Maurício foi homenageado no carnaval de 2 007 pela escola de samba paulistana Unidos do Peruche, que lançou o samba-enredo “Com Maurício de Sousa, a Unidos do Peruche abre alas, abre livros, abre mentes e faz sonhar”.

 

O gibi da Mônica é publicado nos Estados Unidos com o título Mônica’s Gang. Como dá para perceber, a Mônica é Monica, mas e os outros personagens, como se chamam? Cebolinha é Jimmy Five, Magali é Maggy, Cascão é Smudge e Bidu é Blu.

 

O único personagem que Maurício ainda desenha é o Horácio. O jovem tiranoussauro é uma espécie de alter-ego do seu criador, que expressa os pensamentos e pontos de vista dele.

 

Fontes: Wikipédia, Folha de S. Paulo, Extra, Guia dos Curiosos.

 

 


Comentários!: