CONHEÇA OS FATOS E AS NOVIDADES DO ANO DE 1990





A década de 80 terminou com o rock brasileiro perdendo popularidade para estilos como a house music, a lambada e o sertanejo. Entre as poucas bandas que continuavam fazendo sucesso, vale citar Legião Urbana, Paralamas de Sucesso e Engenheiros do Havaí. De grupos como Blitz, RPM e Camisa de Vênus quase nada mais ouvia-se falar.

 

As danceterias tocavam agora músicas como Chorando se Foi, do grupo Kaoma; Adocica, de Beto Barbosa; e Prefixo de Verão, da Banda Mel. Era um sinal claro de que a lambada tinha chegado para ficar. Mas não foi o que aconteceu. Quem chegou mesmo para ficar foram as duplas sertanejas, cujos representantes mais populares eram Chitãozinho e Xororó, Zezé di Camargo e Luciano e Leandro e Leornado. Os irmãos goianos Leandro & Leonardo emplacaram três músicas nas paradas de sucesso daquele ano de 1 990: Tapas e Beijos, Desculpe Mas Eu Vou Chorar e Pense em Mim.

 

Hey Jude, uma versão aportuguesada do sucesso dos Beatles, estourou na voz de Kiko Zambianchi. A britânica Sinead O’Connor teve seu clipe Nothing Comparies To You entre os mais reprisados da recém-inaugurada MTV brasileira. Um dos maiores hits das rádios foi Unchained Melody, do Righteous Brothers. Todas músicas românticas. Unchained Melody é o tema principal do filme Ghost – Do Outro Lado da Vida.

 

A história romântica de Ghost – Do Outro Lado da Vida, levou milhões de pessoas aos cinemas do mundo todo. Foi protagonizado por Patrick Swayze, Demi Moore e Whoopy Goldbert, três atores de grande sucesso naqueles anos. Ao lado de estrelas como Kevin Costner e Arnold Schwarzenegger, eles protagonizaram algumas das maiores bilheterias do final dos anos 80 e início dos 90 (quem nunca ouviu falar de Dirty Dancing – Ritmo Quente, com Swayze no papel principal?).

 

Além de Ghost – Do Outro Lado da Vida, os brasileiros assistiram O Vingador do Futuro, Os Bons Companheiros, Um Tira no Jardim da Infância, Conduzindo Miss Daisy, Edward Mãos-de-Tesouro (que consagraria o astro Johnny Depp) e Rock V.

 

Com uma lambada cantada por Sidney Magal como música tema (na época, ele se identificava apenas como Magal), uma das novelas líderes de audiência foi Rainha da Sucata. Mas a produção que mais deu o que falar foi Pantanal, uma novela de fundo ecológico produzida pela antiga TV Manchete. E por vários motivos: as imagens do Pantanal matogrossense eram de tirar o fôlego, a história era boa e ela incomodou a toda-poderosa Globo. Escrita por Benedito Ruy Barbosa, Pantanal marcou a história da televisão do Brasil.

 

O final da década de 80 foi um período de forte turbulência na economia. O recém-eleito presidente Collor e sua ministra da economia Zélia Cardoso de Mello, numa tentativa de controlar a inflação que o futuro provou ser um desastre, confiscaram a poupança de milhões de brasileiros. As pessoas sequer podiam pagar suas compras e os empresários tampouco fazer investimentos. Por outro lado…

 

A abertura da economia para os produtos importados feita pelo governo Collor inundou o mercado de produtos vindos das mais diversas partes do mundo, inclusive automóveis. Uma das primeiras marcas a entrar no mercado foi a alemã BMW, seguida pela russa Lada. O jipe Niva, da Lada, vendeu mais do que os importadores previram. Outras marcas que tomariam a rua foram as coreanas Asia e Kia, a primeira com a mini-vam Towner e a segunda, com a van Besta.

 

O show do músico Roger Waters em Berlim, na Alemanha, mostrou como o mundo havia mudado. Ninguém em sã consciência imaginaria que Alemanha Ocidental e Alemanha Oriental voltariam a ser um só país. E que o berlinense Portão de Bradenburgo serviria de arena para o show épico do álbum The Wall, do Pink Floyd. Pois Waters não só protagonizou o espetáculo, como reuniu milhares de alemães do lado ocidental e oriental.

 

Mil novecentos e noventa foi de fato um ano de muitas novidades. As ex-repúblicas comunistas da Europa Oriental caiam uma após a outra, Nelson Mandela era libertado na África do Sul, o regime de segregação racial sul-africano era extinto, o muro de Berlim já não existia…

 

No Brasil, iniciam-se as concessões de TV a cabo. Tendo a editora Abril como sócia, começam as transmissões da versão brasileira do canal musical MTV. Nos Estados Unidos, a empresa de tecnologia Adobre lança um software que mudaria para sempre o trabalho com fotografia: o Photoshop.

 

Entre as personalidades que marcaram o ano, vale lembrar de Ayrton Senna, que seria bi-campeão mundial de Fórmula 1. Vale também lembrar do poeta e compositor Cazuza, que morreu depois de uma longa luta contra a AIDS. E de Mauro Gonçalves, o Zacarias do programa de humor Os Trapalhões, que nos deixou repentinamente. A ministra da economia Zélia Cardoso de Mello foi uma das personalidades mais comentadas. Idem o líder negro sul-africano Nelson Mandela, libertado depois depois de décadas de prisão.

 

Por último, tivemos a Copa do Mundo da Itália, quando o time alemão conseguiu ser campeão e igualar o Brasil em número de conquistas.

 


Comentários!: