MAMUTES E MASTODONTES: CURIOSIDADES SOBRE OS PARENTES EXTINTOS DOS ELEFANTES





Mamutes, mastodontes e elefantes são animais da ordem Proboscidea e da família Elephantidae. Assim como os seus únicos parentes vivos – ou seja, os elefantes modernos –, eram mamíferos com longas presas e trombas.

 

Os mamutes viviam no norte da África, Europa, Ásia e América do Norte. Existem indícios de que também pudessem ter vivido na América do Sul. Já os mastodontes eram típicos do continente americano.

 

Além das longas presas – que podiam a chegar a até 5 metros de comprimento –, a principal característica dos mamutes era a pelagem espessa. Eles chegavam a ter até 15 centímetros de pelos.

 

Mamutes eram animais adaptados aos climas temperado e ártico. Entre as 15 espécies identificadas pela ciência, uma das mais bem adaptadas ao gelo era o mamute-lanoso. Fósseis de lanosos ainda são encontrados com abundância na Sibéria. Aliás…

 

Você sabia que já foram encontrados corpos de mamutes em excelente estado de conservação? Alguns tinham a carne em tão perfeito estado que podia ser comida sem maiores problemas. Isso atiçou a avidez da ciência em clonar esses animais.

 

Os mamutes foram um dia comuns na região que conhecemos como Sibéria. A abundância de restos desse animal atrai dezenas de caçadores de fortuna. Agindo na clandestinidade, eles dão preferência para as longas presas, que são contrabandeadas para países como a China.

 

As espécies variavam de acordo com o ambiente. Sabe-se que os mamutes do continente eram maiores do que os que habitavam as ilhas – e talvez em virtude da oferta de alimentos. Enquanto algumas espécies continentais podiam chegar a até 5 metros, as insulares mediam em torno de 1,80 metros de altura.

 

Caçadores da era glacial construíam estruturas com ossos e peles de mamutes (vamos dizer que eram cabanas feitas com o que podiam aproveitar desses animais). A carne era conservada do lado de fora, correndo pouco risco de apodrecer antes de ser consumida em virtude do frio.

 

Os mamutes surgiram na África há cerca de 5 milhões de anos. Extinguiram-se por volta de 10 mil anos, com exceções como os mamutes-da-ilha-de-Wranglel, no oceano Ártico, que desapareceu há 5 mil anos.

 

Um detalhe: os mamutes estavam mais próximos do elefante asiático do que do atual elefante africano.

 

Ainda não se sabe o que levou os mamutes à extinção, mas suspeita-se que tenha sido a caça humana e as mudanças climáticas.

 

Assim como os mamutes, os mastodontes, se extinguiram há 10 mil anos. Eram proboscídeos que viviam nas Américas do Norte e do Sul.

 

Os mastodontes eram um pouco menores do que seus parentes do frio. Tinham provavelmente 3 metros de altura e pesavam em torno de 7 toneladas.

 

Além do tamanho e dos pêlos mais curtos, os mastodontes diferenciavam-se dos mamutes no que concerne à dentição. Os mastodontes tinham dentes com bases mais baixa e superfície irregular, apropriados para mastigar arbustos e galhos. Já os mamutes tinham bases mais comprida e superfície plana, ideal para comer pastagens.

 

Os mastodontes são bem mais antigos do que os mamutes, tendo surgido há 23 milhões de anos.

 

Imagem acima: mamute (detalhe: bebê mamute congelado encontrado na Sibéria).

 

Fontes: Wikipédia, BBC Brasil, Mundo Estranho.

 

 


Comentários!: