QUAIS OS ANIMAIS MAIS NOJENTOS DO MUNDO? CONHEÇA 15 RESPOSTAS





Se existe um bicho que provoca asco é a barata. Elas podem se arrastar dezenas de metros mesmo com as vísceras expostas depois de uma chinelada. O curioso é que se uma pata for arrancada, ela pode recuperá-la em poucos dias.

 

Outra curiosidade asquerosa sobre as baratas: elas não são apenas capazes de roer os lábios de uma pessoa, mas introduzir a cabeça nas suas narinas enquanto ela está dormindo.

 

Os cupins não são insetos especialmente nojentos, mas sabe aquele pozinho que costumamos encontrar debaixo dos móveis? Não é serragem, mas cocô do inseto.

 

O mel é um alimento altamente nutritivo, mas você sabia que ele nada mais é do que vômito de abelha?

 

O primeiro inseto a descobrir um cadáver é quase sempre a mosca. Detalhe: em países quentes como o Brasil, os cadáveres são consumidos por até 60 tipos de insetos.

 

As moscas usam dois truques para se alimentar. O primeiro é lançando sua saliva sobre o alimento para decompô-lo e sugá-lo. O segundo é comendo e vomitando o alimento amolecido para voltar a ingeri-lo.

 

Mas as nojeiras sobre as moscas não terminam aí. Elas carregam dezenas de bactérias causadoras de doenças. Ao pousarem nos alimentos, depositam sem querer essas bactérias, transmitindo doenças para os seres humanos.

 

Para refrescar o corpo durante o calor, os urubus defecam sobre as próprias pernas.

 

Que os pombos comem migalhas, além de vários tipos de sobras, todos sabem. Mas como eles alimentam os filhotes? Da maneira mais nojenta possível. Eles regurgitam os farelos, migalhas e tudo o mais que encontra no chão no bico dos filhotes até que estes tenham autonomia para se alimentar sozinhos.

 

Em matéria de nojeira, poucos animais superam o coala (imagem acima). Os filhotes comem as fezes das mães “direto da fonte”. Como ainda não conseguem digerir direito a cellulose (coalas se alimentam basicamente de eucaliptos), eles são forçados a tragar as fezes “bem digeridinhas” para serem aproveitadas pelo organismo.

 

Uma séria concorrente é a capivara. Uma vez que se alimentam de vegetais que em muitos casos são de difícil digestão, ela come o alimento duas vezes. Explicando melhor: ela come, evacua o alimento e come ele de novo. O detalhe é que só ela só come as fezes enquanto elas estiverem verdinhas. Se porvetura mudam de cor, são totalmente ignoradas.

 

Outro concorrente para o coala é o brasileiríssimo tatu-peba. “Como assim?”, você deve estar se perguntando. “Ele não se alimenta de formigas e outros insetos?”. É verdade, o alimento básico do tatu são as formigas. Mas quando cava um buraco e dá de cara com uma sepultura, o peba não pensa duas vezes. Ele come a carne do defunto. Isso costuma ocorrer em cemitérios de pequenas cidades do interior, onde as instalações (e as covas) são precárias.

 

Já que falamos tanto em excrementos, você sabia que a baleia-azul, o maior animal da Terra, evacua 1 tonelada por dia?

 

Um dos animais mais perigosos para o ser humano é o rato. Pudera, eles são capazes de transmitir mais de 50 doenças. Uma das mais perigosas é a leptospirose, provocada pelo contato com a urina desse animal. A mais mortal é peste, que durante a Idade Média, matou milhões de pessoas na Europa.

 

A girafa utiliza sua língua de 50 centímetros para inúmeros fins. Um deles é, acredite se quiser, lamber as partes íntimas da girafa fêmea para induzí-la a urinar e descobrir se ela está ovulando.

 

Fontes: Wikipédia, Fatos Desconhecidos, Mundo Estranho, R7.

 

 

 

 


Comentários!: