VEJA 15 FATOS CURIOSOS A RESPEITO DA PINTORA TARSILA DO AMARAL





Tarsila do Amaral nasceu na cidade paulista de Capivari (região de Piracicaba) em 01 de setembro de 1 896 e morreu em São Paulo em 17 de janeiro de 1 973.

 

Tarsila era um dos oito filhos do rico fazendeiro José Estanilau do Amaral.

 

Completou seus estudos em Barcelona, na Espanha, onde pintou seu primeiro quadro.

 

Estudou arte na Europa com o mestre cubista Fernand Léger, que lhe apresentara grande parte da intelectualidade da época: Pablo Picasso, Igor Stravinsky, Eric Satie, Jean Cocteau…

 

Sua primeira exposição ocorreu em Paris em 1 926. Tarsila exibiu 17 quadros inspirados numa viagem feita às cidades históricas de Minas Gerais (obras da fase chamada “pau-brasil”). A primeira exposição no Brasil ocorreu em 1 929 na cidade do Rio de Janeiro.

 

Uniu-se ao pessoal da revista Klaxon – diga-se, Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Menotti del Picchia e Anita Malfatti – para formar o Grupo dos Cinco. Cada vez mais íntima de Oswald, faz a capa e ilustra o conteúdo do livro Pau-Brasil, publicado por ele em 1 925.

 

O casamento com o escritor Oswald de Andrade teve como padrinhos ninguém menos que o ex-presidente da República Washington Luís e ex-presidente de São Paulo (na época, o equivalente a governador) Júlio Prestes.

 

A tela Abaporu, talvez a mais conhecida de Tarsila, foi dada de presente de aniversário a Oswald. O relacionamento, no entanto, durou apenas quatro anos. Separado da pintora, Oswald se apaixonou por Patricia Galvão/Pagu, que, aliás, era ex-esposa de um primo de Tarsila.

 

Em virtude de uma viagem à União Soviética e participação em reuniões de operários, Tarsila foi considerada subversiva e presa. São dessa época as obras com temática social, inclusive o quadro “Operários”, um dos seus mais famosos.

 

Com a morte de Dulce, sua única filha, Tarsila se aproxima do espiritismo e se torna amiga de Chico Xavier. Com isso, passa a doar parte do dinheiro arrecadado com a venda de seus quadros para instituições mantidas pelo médium.

 

Tarsila adorava corrigir os erros de português dos outros. Culta e de vocabulário extenso, ela se divertia com os deslizes alheios. Outra mania da pintora era colecionar receitas. Circulava com um caderninho de anotações para copiar os ingredientes dos pratos que gostava. Mas quem pensou que era uma “masterchef” está enganado. Tarsila era uma verdadeira negação na cozinha. Só para não ter que preparar o ovo, ela engolia a gema crua.

 

Tarsila tinha o hábito de levar cachaça brasileira em suas viagens ao exterior. Para passar na alfândega, costumava dizer que era “álcool para passar na pele”.

 

Abaporu foi arrematada por um investidor argentino em novembro de 1 995 na casa de leilão Christie’s, em Nova York, por nada menos que US$ 1,5 milhão. É ainda hoje a pintura mais cara feita por um artista brasileiro.

 

Tarsila foi interpretada em duas minisséries pela atriz Eliane Giardini: Um Só Coração e JK. Quem também a interpretou em mais de uma ocasião foi atriz Esther Góes. A primeira, no filme Eternamente Pagu e a segunda na peça Tarsila, de Maria Adelaide Amaral.

 

Em sua homenagem, a União Astronômica Internacional nomeou uma cratera de mercúrio com o nome Amaral.

 

Fontes: Wikipédia, Guia dos Curiosos, tarsiladoamaral.com, Saga – A Grande História do Brasil

 

 


Comentários!: